Ir para o conteúdo

Terça-feira
cheia de reunião?

Que tal mandar brasa na sua
busca? a gente te ajuda.

Na brasa
Outubro, 27 2020

Churrasco de chão: uma paixão no Sul do Brasil

Considerado o principal prato da culinária gaúcha, o churrasco vai muito além de uma simples refeição, ele é um ótimo motivo para reunir a família e amigos em volta da mesa e, obviamente, do fogo.

Embora exista muita simplicidade em seu preparo, o churrasco nessa região conta com algumas particularidades e processos que são passados de geração em geração.

Tradicional no Rio Grande do Sul, o churrasco de chão é caracterizado por dois aspectos: o espeto de madeira (ou estaca) e a vala no chão, onde se acende o fogo.

A carne, que assa lentamente com o calor que exala das brasas, as músicas, as danças e as bebidas típicas — como o chimarrão — também fazem parte desse grande evento.

Conheça mais algumas particularidades:

Fogo

Para que a carne não fique seca, é importante que ela seja assada com o calor da brasa, ou seja, o fogo não deve ter contato direto com ela. Por isso, o ideal é você acenda o fogo, pelo menos, 1 hora antes de colocar os espetos com as carnes.

Indicamos que um espaço seja reservado para essa finalidade e que a circulação de pessoas, principalmente de crianças, seja evitada.

A acácia é uma ótima opção de lenha para esse churrasco. Entretanto, algumas madeiras possuem propriedades aromáticas e, por isso, podem ser uma ótima pedida, um bom exemplo é carvalho e a nogueira.

As madeiras duras são indicadas para as carnes que necessitam de um tempo maior de cocção, pois, além do calor intenso, a brasa delas dura por muito mais tempo.

Carnes

Diversas carnes podem ser usadas no churrasco de chão, entretanto, a costela bovina é o corte mais tradicional. O tempo na brasa, dependendo do tamanho da costela, pode ser de até oito horas. O ideal é sempre checar o ponto!

O peso da peça, obviamente, irá depender da quantidade de pessoas. O ideal é que seja calculado um total de 350 gramas por adulto.

Além da costela, o leitão (parecido com o porco no rolete) e o peixe podem ser uma ótima opção, entretanto, o tempo de brasa muda completamente. O do porco, por exemplo, pode ser de até 12 horas e o do peixe pode variar entre 2 e 3 horas. Vale lembrar que o peixe precisará de uma grelha especial!

Tempero

O sal grosso, principalmente na Região Sul, é o tempero padrão das carnes, no entanto, para o churrasco de chão, outros podem ser interessantes. Um bom exemplo é o chimichurri que pode dar um toque especial à costela bovina.

No caso do porco e, até mesmo, do cordeiro, o alecrim é uma ótima opção.

Outros temperos, dependendo da carne e do churrasqueiro, podem ser considerados, como o limão, a pimenta do reino, o manjericão e o tomilho.

Acompanhamentos

Indispensáveis, os acompanhamentos podem variar bastante. Porém, o arroz branco, vinagrete, farofa, salada de maionese, pão de alho, entre outros, podem fazer toda a diferença.

Outras carnes como a linguiça, costela suína e o frango, também são ótimos complementos para o seu churrasco de chão. Conheça a nossa linha completa de produtos.

Gostou? Então vai lá e #mandabrasa.

Compartilhe agora mesmo: